domingo, 4 de janeiro de 2009

Conheça Dilma Rousseff

Dilma Vana Rousseff Linhares (Belo Horizonte, 14 de Dezembro de 1947) é uma economista e política brasileira, filiada ao Partido dos Trabalhadores (PT). Foi a primeira mulher a ser nomeada ministra-chefe da Casa Civil, cargo que exerce desde 21 de junho de 2005.
Dilma é filha do advogado e empreendedor búlgaro naturalizado brasileiro Pedro Rousseff (em búlgaro Петър Русев, Pétar Russév) e da dona-de-casa Dilma Coimbra Silva. Graduou-se em Ciências Econômicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Obteve Mestrado em Ciências Econômicas, na área de Teoria Econômica pela UNICAMP (Universidade Estadual de Campinas), e Doutorado em Ciências Sociais, na área de Teoria Monetária e Financeira, também pela UNICAMP.
Na década de 1960, durante o regime militar, participou da luta armada, usando os codinomes de Estela, Patrícia, Luísa e Vanda, atuando em organizações clandestinas de esquerda, como a Política Operária (POLOP), Vanguarda Popular Revolucionária e o Comando de Libertação Nacional (COLINA), segundo consta na sua ficha criminal na Polícia paulista, no DOI-CODI. + No final da década de 1960, durante o regime militar, Dilma participou da luta armada, atuando em organizações clandestinas de esquerda, como a Política Operária (POLOP), a Vanguarda Popular Revolucionária (VPR) e o Comando de Libertação Nacional (COLINA), quando da união deste com a VPR sob o nome de Vanguarda Armada Revolucionária Palmares(VAR-Palmares).
Dilma teria participado, na época, da ação do roubou de um cofre do ex-governador de São Paulo Ademar de Barros, em 18 de junho de 1969, na cidade do Rio de Janeiro, de onde foram subtraídos 2,6 milhões de dólares. Entretanto, Dilma negou sua participação no evento em uma entrevista concedida ao Programa do Jô. De acordo com ela, "essa história foi difundida, mas na época eu não participei nem planejei o assalto ao cofre do Ademar" .

* Em 1 de agosto de 1968, do assalto ao Banco Mercantil de São Paulo.
* Em 6 de outubro de 1968, do assalto ao Banespa na rua Iguatemi, em São Paulo.
* Em Em 11 de dezembro de 1968, do assalto à Casa de Armas Diana, na Rua do Seminário, em São Paulo.
* Em 24 de janeiro de 1969, ao IV Regimento de Infantaria de Quitaúna.
* Em 20 de setembro de 1969, do assalto ao Quartel da Força Pública, (atual Polícia Militar), na Academia do Barro Branco.

Posteriormente, esteve presa entre 1970 e 1973 nos órgãos públicos de repressão à luta armada e ao terrorismo, época em que diz ter sido torturada. Em dezembro de 2006, a Comissão Especial de Reparação da Secretaria de Direitos Humanos do Estado do Rio de Janeiro aprovou um pedido de indenização por parte de Dilma e outras dezoito pessoas presas em dependências de órgãos policiais do governo estadual paulista na década de 1970.
No fim da década de 1970, casou-se com o também militante político Carlos Araújo, com quem teve uma filha e fixou residência no Rio Grande do Sul. Hoje são divorciados.
Participou da reestruturação do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), vinculada ao grupo de Leonel Brizola. Após a perda da sigla para o grupo de Ivete Vargas, participou da fundação do Partido Democrático Trabalhista (PDT).
Foi secretária de Minas e Energia durante o governo Alceu Collares no estado do Rio Grande do Sul, entre 1991 e 1995. Em 1998 o petista Olívio Dutra ganha as eleições para o governo gaúcho com o apoio do PDT no segundo turno e Dilma retornou à Secretaria de Minas e Energia. No final de 1999 o PDT deixa o governo de Olívio Dutra e exige de seus filiados a entrega dos cargos. Dilma sai do PDT e filia-se ao PT continuando no governo a exemplo do que também fizeram Emília Fernandes, Milton Zuanazzi e o trabalhista histórico Sereno Chaise.
Dilma Rousseff integra o Governo Lula desde o início, em 1 de janeiro de 2003, como ministra de Minas e Energia. Trocou de cargo, e passou a chefiar a Casa Civil em 21 de junho de 2005, no lugar de José Dirceu, que deixou o ministério por estar envolvido em acusações de corrupção no caso Mensalão. De acordo com o senador Pedro Simon (PMDB-RS), desde que Dilma assumiu o ministério, "a seriedade está se impondo" na Casa Civil.

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Dilma_Rousseff

Um comentário:

blog Ideia Certa disse...

é amigo a luta vai ser pesada, masi com bastante esforço elegeremos a nossa sucessora

Arquivo do blog